segunda-feira, 22 de agosto de 2005

And back...

Posso sonhar ilimitadamente
mas não se vive ilimitadamente
Não posso viver tudo aquilo que sonho...
por isso, por uns tempos preciso parar de sonhar...
O que escrevo está ligado ao meu mundo de sonhos vividos e por viver...
O sonho que agora tenho não o posso viver, não o quero mais sonhar...
Preciso aprender a limitar a imaginação, o sonho.
Escrever faz-me dar largas à ilusão... preciso parar de escrever.
É uma questão de tempo... tudo é uma questão de tempo... eu sei que sim...

quarta-feira, 10 de agosto de 2005

Voz do coração

Se deixasse o meu coração falar
ele gritaria por ti
esforço-me e mantenho-o calado
não para que não me ouças
sou eu que não o quero ouvir
Não pensei...
Sim, a verdade é que não pensei
Não pensei que para continuar teria que o calar
achei que ele se calaria com a distância e a certeza do que não acontece
Mas não se cala...
E eu já não sei que mais fazer porque não o posso atender...

Fuga

Não fujo.
Amanhã ainda estou aqui.
Mesmo que quisesse fugir, não conseguiria.
Acredita... já tentei.
Quer esteja aqui, aí ou mais além.
Não enquanto me deitar a pensar em ti e ao acordar o meu primeiro pensamento for teu.
É quanto basta para me fazer sorrir... pensar num qualquer momento que partilhámos...
Não fujo... amanhã ainda estou aqui...

Uma questão de pele

Quando me tocas e sinto a tua pele na minha
estremeço e arrepio
fico sem saber o que dizer
os impulsos tomam conta de mim
é uma benção dos céus
um pecado infernal
que aquece e enlouquece
e me faz perder a razão...
A loucura toma conta de mim
e o devaneio é sem fim...