quarta-feira, 30 de maio de 2012

Diário doméstico #2

Achei que em casa seria mais fácil escrever. Deixei de ter a desculpa perfeita que usava para apaziguar a minha consciência - falta de tempo. Mas a verdade é que não é bem assim. 
Às vezes parece que quero partilhar uma ideia, mas ela volta a esconder-se atrás de um dos muitos biombos que o cérebro cria. E eu volto a ficar sem vontade de escrever. 
Por vezes já tenho todo o texto delineado, sento-me, pego no computador e fico a olhar para o ecrã. Nada me passa para os dedos e fico sem escrever.
Depois páro para pensar, será que quero escrever? Será que perdi a vontade e não adianta insistir? Será? Sou capaz de ficar algum tempo a pensar nesta ideia. Quero escrever? Sinto que ainda quero, mas não consigo imprimir-me a mesma paixão. A mesma vontade.
Sentei-me há minutos. O telefone já tocou 2 vezes. Hoje não vou desistir!
Atendi ambas as chamadas. Uma, curta por natureza, outra, encurtei-a para voltar ao teclado.
Estou determinada a terminar um Egotismo. Hoje vou conseguir. Quero escrever.
Gosto deste cantinho que criei em 2005, já o mudei para outras paragens e regressei às origens, já lhe mudei a aparência umas quantas vezes e continuo sempre a voltar.
Estar em casa não é mau! Estou a habituar-me.

terça-feira, 22 de maio de 2012

Diário doméstico #1

Em casa...
Deveria dizer-me assoberbada e fazer as delícias da minha mãe. Qual fada do lar? Talento doméstico q.b.
Já organizei algumas coisas que reconheço estavam desarrumadas, outras dão um ar de casa com vida!
Confesso que a primeira reacção foi arrumar tudo. Mas depois voltei a colocar algumas coisas fora do lugar. 
Não consegui ver a casa toda alinhada.
Ao fim de 2 dias ainda gozo o "dolce fare niente". Há que aproveitar!