quinta-feira, 29 de outubro de 2009

I'm in heaven...



É que é mesmo isto... é assim que me sinto. No céu. A dançar. Feliz. É mesmo isto. És mesmo tu.

And my heart beats so that I can hardly speak.
And I seem to find the happiness I seek.

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Flying...

Singing...

Voar até às nuvens e ficar num cantinho só para mim e para ti. Deixar que as estrelas brilhem no teu olhar. E o nevoeiro tapar a Lua para nos deixar a sós. O coração bate ao compasso do som da música que estamos a cantar. Sim. Bate ao ritmo da felicidade... Saudade.

Sabe a pouco.

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Arritmia

... eu vou só ali uns momentos...

Imagem: Google

The best is yet to come...

e Michael Bublé invade o Egos...

Desta vez tão somente porque não consigo explicar de outra forma o teu toque. Não consigo dizer o turbilhão que me invade. Não consigo descrever como um leve toque me fez tremer. Não consigo explicar como um olhar me fascina ou como um sorriso me ilumina. Não consigo dizer tudo o resto que me faria escrever linhas sem fim e que tanto me prende e me faz acreditar que temos todo o tempo do mundo...


segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Do it right

Tempo dá-me tempo.
Não duvido. Mas sinto aquele nervoso que chamam miudinho, porque a insegurança bate à porta do meu coração. Hoje fiquei bloqueada com todos os pensamentos e sentimentos que me atropelavam. As ideias em sufoco a quererem sair, não ia conseguir completar uma frase com sentido. Optei pelo silêncio. Neste momento é-me mais fácil escrever. Não consigo reconhecer muitas das sensações que me trespassam. Sinto-me em suspenso, com medo de cair. Pergunto apenas o que me sinto preparada para ouvir. Não, não é mais fácil escrever. As ideias surgem em catadupa... não as consigo alinhar.

domingo, 18 de outubro de 2009

Que lembranças traz um sorriso?

Não tenho que justificar o que sinto. Não preciso justificar as minhas acções. Ouvir conselhos amigos não me muda. Não é que não tenha ouvido. Apenas quero ouvir sim o bater do meu coração. Suave quando sinto que sentes o mesmo por mim. Descompassado, desritmado, cheio de vontade de saltar do peito a cada presença tua. A cada sorriso. A cada olhar. A cada toque. Pára! Sinto-o parar... sei que é para absorver a plenitude do que me fazes sentir. Depois sinto-o recomeçar devagarinho. A bater de mansinho... Sinto-me estremecer e já ele está de novo acelerado. Sinto que já sou tua. O meu corpo não me deixa sentir de outra forma. Nem quero. O meu coração não me deixa negar. Agora está a bater apertadinho com a saudade por não te ver. Ritmo suave e baixinho. Mas a lembrança do teu sorriso basta para ele voltar a bater.

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Postal

Saio ao final da tarde, com os Restauradores como destino. Despacho-me mais rápido do que o previsto. O pôr do Sol começa, mas o calor ainda se faz sentir. Resisto? Claro que não. Desço a rua Augusta a cantarolar ao som do que estou a ouvir até ver o Tejo no seu esplendor. Subo a rua e reparo na calçada que brilha de tão gasta. Chego ao Rossio e considero o Metro... Nan. Fora de questão! Está calor demais. Tenho demasiadas saudades para me despedir já. Fico no Martim Moniz em silêncio e imóvel a contemplar o Castelo que em criança sempre sonhei meu. Passa um amarelo da Carris só para me fazer sorrir. Vou a pé! E assim vim até casa a sorrir a matar saudades da minha Lisboa. É cidade que faz parte de mim. Tenho Lisboa entranhada na pele!

domingo, 11 de outubro de 2009

Is it?


Há músicas que vou gostar sempre! Esta é uma delas e o conselho até não é assim tão mau. Se bem que não será só no beijo que se sabe...

terça-feira, 6 de outubro de 2009

O meu problema de expressão

Sufoco. O meu corpo atraiçoa-me. Falha-me quando o que mais preciso é controlo. Não há modo de dizer tudo aquilo que sinto. Não há forma de explicar o oito e oitenta de tudo o que se passa nos meus pensamentos. Tenho momentos em que digo e escrevo tudo o que quero. Tudo o que sinto que não devia dizer. Apetece-me deixar sair tudo o que trago travado. Não me sinto confusa quanto ao que sinto, mas preferia não sentir que causo tanta confusão. Queria que tudo fosse mais simples. Que pudesse ser uma opção fácil para mim. Afastar-me ou deixar-me ficar e correr o risco de perder. Não digo tudo o que estou a sentir. Não posso mentir. Posso apenas guardar o sinto para mim. Calar no meu silêncio tudo o que quero. Já tentei dizer, mas as palavras recusam sair. Não encontro o momento. Queria poder ficar mais perto, bem mais perto.

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Chuva acabada de cair...

Hoje saí à rua com um dos cheiros que mais gosto. Gosto dos dias cinzentos em que a chuva vem dizer olá e deixa o chão molhado. Respiro fundo.
Mais um ano - getting older, not wiser!
Almoço em família. Jantar com amigos. Noite de farra. Algumas ausências dos amigos mais antigos. Algumas surpresas dos amigos mais recentes. Envelhecer assim sabe bem. A noite terminou de manhã com muita música e muita dança.

No regrets my dear, I knew you would return!

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Almost...

O que é que se faz quando alguém diz que merecemos tudo, mas depois nos fica a faltar exactamente o que queremos?