terça-feira, 30 de dezembro de 2008

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Neste Natal...

Parece que o Natal está aí. Os enfeites de rua e as montras das lojas assim o dizem. Deixando de lado o espírito original da época, até porque é o que maioritariamente se faz, quero presentes! Ainda não sei bem é o quê!
Também ainda não consegui comprar presentes para ninguém, por falta de tempo e inspiração. Não tenho nada contra, salvo seja, mas eu não vou ali à loja dos chineses comprar uma dúzia de velas e está a família toda presenteada!
Há que colocar uma certa dose de dedicação na coisa e tentar escolher presentes adequados e que as pessoas possam gostar! Sim, isto é uma directa para todos os familiares e amigos que não comentam, mas que eu sei que lêem. Nada de velas e bugigangas que não vou nunca colocar em parte alguma senão dentro de uma gaveta, na melhor das hipóteses! Se não têm tempo nem dinheiro para presentes, basta que me desejem feliz Natal! Até porque é o que vou fazer com a maioria de vocês!
Não tenho dinheiro para presentes e o tempo vai reduzir-se ao dia 23. Ora, parece impossível comprar prendas para todos. Portanto, e como todos têm dinheiro para comprarem o que querem, eu só irei desejar FELIZ NATAL, pessoalmente, por e-mail e por sms. Alguns de vós irão ter presentes, comprados à luz da crise que se faz sentir. Prometo que nada será dos chineses ou da loja dos trezentos (eu juro que não é preconceito, até porque vou a estas lojas, mas é muito raro eu encontrar coisinhas de verdadeira qualidade e acho que já mencionei que o tempo será curto e não posso andar de loja em loja à procura das coisas que eles têm em bom!).
Prometo tentar comprar algo que utilizem e que gostem. Na pior das hipóteses, algo que venham a usar e eu goste!

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Tudo ou nada

Não quero brandos costumes. Não quero uma vida "assim-assim" e muito menos responder "vai-se andando" quando perguntam por mim. Não quero um emprego "mais ou menos" só porque o dinheiro faz falta. Não quero colegas que se passam por amigos, nem amigos que não são mais que conhecidos. Não quero nada que possa ser adjectivado com um encolher de ombros.
Gosto de dizer o que quero, quando quero e me apetece. Gosto de trabalhar, mesmo que o dinheiro não seja aquele que o trabalho merece. Gosto dos poucos mas bons amigos que a vida me reservou. Aqueles que aparecem mesmo quando é só para dizer "olá!". Gosto!
Hoje acordei e o frio acordou-me. Andava a adormecer-me, a conformar-me, quando não preciso, nem consigo fazê-lo. Não à penumbra do assim-assim, ao entre-dentes do mais ou menos. Prefiro assim, tudo ou nada.

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

(In) Decisões


Há sempre aqueles dias em que o que está errado nos atinge com força. Quase como se tivesse sido atropelada pelo comboio e miraculosamente sobrevivido. E isto porquê? Porque hoje acordei para reparar nos "errados" da minha vida! E não, não é com o intuito de me lamuriar, porque isso para mim não dá. Antes para pensar se estou bem a ver o que estou a fazer com a minha vida. Porque isto de ter trabalho que se gosta "assim-assim" até não é mau, mas também não é bom! Ter negócios com "amigos" que também são "assim-assim" deixa muito a desejar.
Nem sempre se pode arriscar a mudança e isso ajuda ao conformismo. Mas, e se a possibilidade de mudar surge no horizonte? Vou ficar retida com medo de arriscar? Vou decidir cortar de vez com um presente que me é confortável? Talvez... Ainda estou no esboço do pensamento, no rascunho da acção. O bom é que estou quase a começar férias. É sempre boa altura para repor energias e desta vez vou ver se é preciso pôr a cabeça noutro lugar. Será?

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Já começou...

E não, não estou a falar da euforia do Natal... Há presentes e convites inesperados e pelo menos uma vez por ano o mundo esforça-se por ser "bonzinho"! Mas não falo disso... não hoje...
Falo do que vem depois... das resoluções de ano novo! Decisões tomadas com afinco nestes últimos tempos de cada ano.
Vou deixar isto e aquilo, tornar-me nisto e naquilo, enfim, multiplicam-se as decisões, só para aumentar as desilusões! Honestamente, quantas resoluções de ano novo são levadas a sério?
Eu acho que nunca cumpri nenhuma!
Mas não é por isso que não se fazem... faz parte da tradição da mudança de ano... Criar a esperança que as coisas vão mudar! Será que a euforia do ano novo passa depois da ressaca do dia 1? E as nossas resoluções diluem-se ao mesmo tempo que a efervescência do 'guronsan' na água?
Este ano vou tentar não criar nenhuma resolução, talvez assim consiga mesmo mudar o que precisa ser mudado, mas com calma e ao longo do ano! Nada de mudanças drásticas logo para Janeiro! Tenho o resto do ano todo pela frente...

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Grito mudo

AAAAAAAAAAAAAHHHHHHHHHHH!
Algo sem sentido!
Talvez.
Mas ficar sem voz não ajuda a minha sanidade. Estou há 3 dias sem falar. Mal consigo articular palavra e a voz some-se num fio, numa sombra do tom que já teve. Apesar de estar abatida pela gripe, nada me consome mais do que estar sem voz. Sem poder falar. Por breves dias, momentos da vida de outros e para mim é uma aflição. Perder o meu som, o meu tom. Espero, enquanto cultivo paciência que não tenho, para recuperar.

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

1,2,3...

4, 5, 6, 7, 8, 9, 10, 11, 12...
13 (treuze???)

Num destes dias liguei para uma repartição, porque precisava de uns esclarecimentos. Conversa para aqui, conversa para ali, preciso disto, não sei se sou qualificado para lhe dar essa informação. Não consegui que me percebesse à primeira, nem o senhor se conseguiu explicar. E de repente, já em desespero de causa, o senhor diz-me "aí por volta das treuze ligue de volta". Desculpe? "Ligue por volta das treuze que a senhora Graça já cá está e é mais fácil." Desliguei e liguei por volta das 13 horas.
Entretanto, comentei e várias pessoas me disseram que é perfeitamente normal e que conhecem pessoas que dizem "treuze". Nunca tinha reparado e não acho que seja normal. Não me ensinaram este número na escola. Sempre me disseram que entre o doze e catorze está o treze. Mas se há por ali um outro número que desconhecia, acho que o vou continuar a ignorar.

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Entre paredes...

Paredes Meninas, Ju Novais

... me sonho, me reinvento. Crio uma outra paleta para a minha vida. Com cores de criança sonho o arco-íris. Com olhos de menina vivo dia a dia.

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Ainda na senda da cegueira...

Fico surpreendida, bem, talvez o melhor termo seja chocada, com o que as pessoas são deliberadamente capazes de ignorar. Já ouvi que a santa ignorância é a padroeira da felicidade. Mas até onde pode ir a ausência de amor-próprio? Já ouvi histórias de amor/obsessão que deixam uma pessoa de rastos, mas sempre acreditei que seriam mais exagero do interlocutor ou fraqueza de espírito da vítima.
No entanto, actualmente, assisto ao ponto que a vida de uma pessoa pode chegar por cegueira/burrice/alegado amor. É inútil tentar dizer o que quer que seja, porque além de cega também já se verificou que a pessoa em questão ficou surda e, verdade seja dita, entre marido e mulher não se mete a colher!
Não sabia que fosse possível ficar obcecado, assim, em tão pouco tempo e tão profundamente. É complicado. Só resta esperar para ver se este tipo de cegueira tem cura.

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Blindness

Foto: da net

Diz-se que o amor é cego, mas o pior cego será sempre aquele que não quer ver...

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Red nails

E porquê?
Porque de acordo com um dos filmes da minha infância when I'm feeling sad I simply remember my favorite things and then I don't feel so bad*. Hoje acordei on the down side of life. O que fazer? Não há muito a fazer quando se acorda assim, a não ser tentar melhorar o humor. E não vale a pena que todo o mundo o perceba. Portanto, nada como calçar as botas predilectas, tirar do armário quase toda a roupa até finalmente acertar com a que fica bem e convém não esquecer de colocar um nadinha de pintura para dar um ar mais animado. Mas o bom foi passar logo ali na manicura que fica pertinho de casa e colocar um verniz bem vermelho, ficar com as mãos bem tratadas e umas unhas vermelhas, perfeitas!
*My favorite things, The Sound of Music

terça-feira, 7 de outubro de 2008

Wouldn't it be nice?



Plagio descaradamente o título da música dos "The Beach Boys", porque hoje o dia acordou cinzento. Porque vir trabalhar, logo pela manhã, quando mais ninguém o fez, não ajuda a iluminar o dia. Porque seria mesmo bom poder ir de férias, mas não um ir de férias de qualquer maneira. Mas antes um "ir de férias" mais assim para o fiquei-mesmo-com-dinheiro-e-posso-ir-sem-me-ralar-para-onde! E como quem nem quer a coisa, ir ao site deste Hotel e escolher assim um bungalow para mim e 'tou aqui 'tou ali em Bora Bora.

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Older (not the same as wiser)

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades... pelo menos é o que se diz.
Mudaram-se os tempos, mudou o número de anos vividos. Não mudaram as pessoas, mas as pessoas mudaram.
Celebrei aniversário com as mesmas pessoas de há anos. Todos mudámos. Não dá para pensar se para melhor se para pior, mas mudámos. Fiquei, por momentos, parada, alheia às conversas, apenas a observar o que cada um de nós tinha de diferente. Onde começam os sinais da idade? Não vislumbrei muitos, porque a idade não é assim tanta. Mas estavam lá as pequenas e subtis mudanças. As diferenças em cada um. Em todos. Mas em nada alterou a comparência, a cumplicidade, a brincadeira, a amizade.
Podem vir mais aniversários, que envelhecer assim não faz mossa.

terça-feira, 23 de setembro de 2008

Não custa tentar...














Jimmy Choo_Outuno/Inverno 2008

Porque dá vontade de comprar a colecção quase toda. Porque sou obsessivamente fanática por sapatos e um nadinha perdida por malas. Porque o meu aniversário já não está assim tão longe e o Natal também é já ao virar da esquina. Porque não custa tentar... Também não custa dizer que adoro os sapatos do senhor Jimmy Choo. Nunca se sabe se a fada madrinha por aqui passa. Eu não sou fã de sapatos de cristal e também não quero ir a bailes de príncipes. A fada poupa no vestido, na carruagem e no pajem. Pode só mesmo deixar um par de sapatinhos n.º 36 ou 35,5 dependendo do modelo que eu não sou esquisita, nem exijo muito!

quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Fogo que arde sem se ver?*


- Somos lenha da mesma fogueira...
(já ouvi isto em qualquer lado)
- O fogo arde até consumir tudo à sua volta. Sou mais uma pessoa de lume brando.

*No, thanks!

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

O mundo (ainda) não acabou

Large Hadron Collider (grande colisor de hadrões)

Profetas da desgraça disseram que seria o fim do mundo através de um buraco negro... mas não foi. Afinal parece que o mundo só acaba lá para finais de Outubro que é quando o 'bicho' atinge a potência máxima.
Nessa altura, supostamente, irão conseguir provar, ou não, o aparecimento de uma partícula específica que vai culminar na, provável, atribuição de um Nobel a um dos criadores das 2 teorias existentes, mas, para mim que nada percebo de física, esta é a parte menos interessante da coisa.
Um aspecto interessante é o recriar do Big Bang. Será que vão mesmo conseguir recriar a criação de um universo?
Confesso, no entanto, que acho muito mais interessante o especular sobre o possível fim do mundo no espaço de um mês. (Claro que se isso fosse uma possibilidade, acho que a experiência nem seria levado a cabo.)
Se, de facto, a experiência fosse irreversível e o mundo estivesse mesmo para acabar, com data marcada para 26 de Outubro o que é que aconteceria?

quarta-feira, 10 de setembro de 2008

...



Porque, por vezes, preciso de silêncio. Gosto da solidão. Dos momentos em que estou só, comigo. Momentos em que quero ficar invisível. Em sossego, em solidão, em reclusão. Porque, por vezes, preciso apenas de mim.

terça-feira, 2 de setembro de 2008

Pensamento do meu dia

O empenho que se aplica àquilo que se faz (infelizmente) depende mais da necessidade do que do carácter.

quarta-feira, 23 de julho de 2008

Cara metade

Completas-me. Sim. Entendo que sim, mas não me considero metade de ninguém. Sou inteira. Sou ser imperfeito, por falta de saber de experiência feito. Sou criatura em construção, por tudo o que falta viver. Aspectos ainda por definir por falta do que a vida ainda não me mostrou. Mas não sou metade. O que não me impede de dizer que me completas. Que contigo adquiri conhecimento sobre uma importante parte de mim. E isso, sim, tornou-me, senão melhor, pelo menos, mais consciente de mim, da vida e de tantas outras pequenas coisas que me mudaram. Por isso, sim.

terça-feira, 22 de julho de 2008

sexta-feira, 18 de julho de 2008

Too damn hot!

O calor que se faz sentir não será infernal, mas incomoda! Incomoda quem ainda não está de férias. Incomoda quem não pode andar de havaianas e roupas mais leves confortáveis. Incomoda quem não pode ir para a praia. Incomoda quem não pode desfrutar deste bom tempo como convém!
Ou seja, incomoda-me!
Mas as férias já não estão longe. Com pouco descanso, é certo, mas não me importo. Vão ser férias e um pouco mais! Não preciso reclamar assim tanto!
Hoje a azáfama por aqui é grande. Não percebo. Mas andam imensas pessoas na rua de um lado para o outro, acho que a aproveitar os saldos ali na rua de trás.
Já mal consigo manter a concentração necessária para o trabalho. Parece que ando a trabalhar com os mínimos olímpicos exigidos. É difícil manter os pés na terra quando a cabeça anda na lua! Mas esforço-me e como sempre ouvi dizer que o conta é a intenção, por estes dias o que vai contar é a minha intenção de trabalhar!
Além disso, hoje está, de facto, calor a mais para mim, portanto, daqui a mais um pouco saio para um geladinho maravilhoso ali do Sr. Santini e para o fim-de-semana que se avizinha continuar quente.

segunda-feira, 7 de julho de 2008

Who wants to love forever?

Sim, é plágio do título de uma das minhas músicas preferidas. Ninguém vive para sempre. E amar para sempre? Amar um outro alguém que nos entra pela vida e se torna parte de nós?

Ontem perguntaste-me se eu tinha a certeza que era para sempre. Até que a morte nos separe? Até que a vida nos separe?

Certezas tenho poucas. Mas as dúvidas também só vão surgindo pelo caminho. Quando te disse que sim sabia o que estava a fazer. Acho que ainda sei. O para sempre não me preocupa. Preocupa-me talvez a vida e as mudanças. É mais fácil um até que a vida nos separe, porque é o que estatisticamente mais acontece. Com a proximidade relativa, aumenta o nervoso que de miudinho não tem nada! Sabes que dispenso a festa. Passo bem sem todos aqueles pormenores que são mais para os outros do que para nós. Mas não passo sem ti, não passo sem nós. Não sei se a vida deixa que seja para sempre, se nós vamos estar sempre dispostos a fazer com que seja. Seja como o futuro e o tempo o ditarem. Seja como nós o decidirmos. Seja para sempre ou não, estou disposta a arriscar.

Importam-me os momentos, o caminho que já fizemos e que ainda temos para fazer. Importa-me que o façamos juntos a cada percalço, a cada pedra no caminho. Importa-me saber que estás ao meu lado. Importa-me nós.

sexta-feira, 27 de junho de 2008

Talvez... renascer

Se perguntarem por mim, digam que morri...
Há parte de mim que está a desfalecer. É a parte de mim que vou deixar morrer. Por isso, se alguém perguntar por mim entretanto... morri.

segunda-feira, 23 de junho de 2008

Mulher à beira de um ataque de nervos!

Tem uma aplicação tão frequente que até irrita! Mas é verdade!
Lembrei-me disto porque também ando irritável! Como diria a minha mãe, "estou com a telha"! Não há paciência. E aumenta-me a vontade recorrente de querer bater em alguém! Admito que a culpa pode bem ser do meu mau feitio.
Mas há sempre uma alma pronta a consolar-me com um "podia ser pior"! Poder, podia! Que hábito pequenino! Detesto! Está bem que podia, não digo o contrário. Mas ouvir isto é ridículo! Que me interessa a desgraça alheia? Não me animo por ouvir dizer que fulano ou sicrano estão bem pior...
Eu sei que não sou fácil... implico com pequenas coisas.
Mas nos últimos tempos tem sido demais. Deparei-me com uma alminha que tinha a fantástica capacidade para a contradição a cada 10 segundos, mais coisa, menos coisa. A criatura era perfeitamente capaz de conviver com isso, eu não. Claro que, sendo num local de trabalho, isso acabou por inviabilizar a colaboração! Fiquei um pouco mais insuportável! Mas podia ser pior! Podia não ter encontrado outro local, podia ter que ter ficado a aturar aquela alma bipolar! Lá porque pode sempre ser pior, não quer dizer que alguém tenha efectivamente que o afirmar!
Porque, na realidade, também podia sempre ser melhor! Podia não ser segunda-feira, podia já estar de férias!

segunda-feira, 16 de junho de 2008

It takes two... *



A vida bem podia ser um musical. Com música apropriada a cada momento, a tocar na altura certa. Um tango argentino. Apaixonado e arrebatador. Mas a história é sempre triste. Na vida, sem a música, não tem a mesma beleza.
A dor não é arte.

* Eu sei


quarta-feira, 11 de junho de 2008

segunda-feira, 9 de junho de 2008

Busy bee

ou deveria dizer "lazy bee"?
Mas ando com falta de tempo para mim! Não pode continuar assim. Amanhã pausa. Depois regresso, com cabeça e pés bem assentes para os novos passos que precisam ser firmes!

segunda-feira, 2 de junho de 2008

"Are you still with me?"

Yeah!




E foi assim:
Lisboa, Portugal - Rock In Rio - 5/31/08
LOST HIGHWAY
BORN TO BE MY BABY
BAD NAME
RAISE YOUR HANDS
RUNAWAY
SLEEP w/ Mercy & Start Me Up
WHOLE LOT OF LEAVIN'
IN THESE ARMS
ALWAYS
WE GOT IT GOIN' ON
IT'S MY LIFE
FAITH
I'LL BE THERE FOR YOU - RICHIE VOX
BLAZE OF GLORY
WHO SAYS YOU CAN'T GO HOME
HAVE A NICE DAY
BAD MEDICINE w/ Shout
PRAYER

ENCORE:
SATURDAY NIGHT
WANTED

quinta-feira, 29 de maio de 2008

quarta-feira, 21 de maio de 2008

Nada como um 'original' EU VOU!

Imagem algures aqui

À terceira é de vez!
E se bem que se poderia aplicar ao evento, não é o caso. É desta vez que, finalmente, vou ao Rock in Rio. Mas é desta vez que, finalmente, vou realizar um sonho da adolescência.
Mais vale tarde que nunca!


terça-feira, 20 de maio de 2008

Just pump

Andava eu já muito stressada, quase mesmo perto de um ataque que colocaria a típica tpm a um canto, quando me disseram que o que precisava era de exercício!
No início não levei a coisa a bem. Há sempre mal entendidos, isto de se dizer a uma mulher que devia ir para o ginásio, nem sempre corre bem! E desta vez não foi excepção. Já faço as minhas caminhadas e idas à piscina, de vez em quando. Já estava bem bom.
Mas um presente e acesso a umas aulas grátis, fazem uma pessoa mudar de ideias! Lá fui eu.
Recepção. Burocracia. Visita às instalações.
- Alguma aula que queira experimentar?
- Quais são as que começam agora?
- Daqui a 30 minutos, hidroginástica e body pump.
Humm... com os meus botões lá pensei que para a piscina iria depois, aquecimento e tal... e a minha prima já me tinha falado nisto...
- Vou experimentar o body pump.
- Tem aqui a senha. Divirta-se.
Passei lá a tarde!
Escusado será dizer que há poucos músculos no corpo que não estejam doridos, mas valeu a pena! Até porque com as dores que tenho é difícil conseguir stressar-me ou sequer chatear-me com alguma coisa!

sexta-feira, 16 de maio de 2008

quarta-feira, 14 de maio de 2008

Sabedoria (?) popular #1

"Não deixes para amanhã o que podes fazer hoje."

E se forem pagamentos ao Estado? Também se aplica?

sexta-feira, 9 de maio de 2008

Crepúsculo

Meio dia. Meio noite. Penumbra. Entrevejo-te. Adivinho-te. Sei-te de cor. Hoje prefiro que não fales. Não quebres o silêncio que nos une. Não ilumines a sombra que nos envolve. Deixa-nos ficar assim. Sós, connosco, com os nossos fantasmas. Prefiro-nos assim. Quando as nossas máscaras deixam de fazer sentido. Quando nos permitimos as fraquezas que ocultamos de dia. Deixa que as nossas sombras se unam neste momento. O dia há-de regressar depois.

quarta-feira, 7 de maio de 2008

Sombra de ti

Foto: aqui

Mal acordada. Olho para o lado. Surge-me a tua sombra. Os teus olhos verdes. Acordo. Não é já a tua sombra que quero ver. Porque me apareceste no sonho, senão para me desassossegar... Porque me apareceste senão para me recordar que talvez esteja em falta. Mas não quero mais recordar. Não quero mais que me apareças em sonhos. Acordada já não te vejo. Já não te sinto. Não te quero. Volto a dormir.

segunda-feira, 5 de maio de 2008

A semana em revista...

1 - Perdidos
Agradece-se a quem encontrar um capot branco e um farol do lado direito. Presumo que andem a passear por Lisboa, provavelmente de mão dada. Foram vistos pela última vez na semana passada numa madrugada, juntamente com todo o conjunto que compõe o automóvel inteiro. As restantes peças, após interrogatório, só afirmaram que o capot e o farol saíram juntos.

2 - Falta de energia
A tensão que anda sempre baixinha decidiu tirar umas férias de vez e deixar-me quase inanimada. Muita confusão por nada. Mas falta o resultado das análises confirmar o meu diagnóstico!

3 - Domus
Amigos, amigos, negócios à parte! É o provérbio que andamos a testar há algum tempo e decidimos levar os testes ao próximo nível. Vamos ver se a sociedade resiste!

4 - The show must go on
Devia ser para descansar da falha de energia, mas como avó, madrinha e mãe são três, o descanso fica para outra vez.

terça-feira, 29 de abril de 2008

Memórias de infância

Quando convivo com os mais jovens da família e tento ver os mesmos desenhos animados que hoje em dia lhes ocupa parte do tempo frente à televisão, chego sempre a várias conclusões, mas acabam por ser sempre as mesmas:

1 - Estou velha!
2 - Não consigo achar piada a esta nova moda de cartoons.
3 - Tenho saudades dos desenhos animados da minha infância.
4 - Fico sempre com vontade de os voltar a ver.
5 - Sem sucesso, tento convencer os 'miúdos' da família que o que eles vêem na televisão agora não é lá grande coisa.

Mas o pior pior (aliás o melhor!) é falar com alguns amigos e ver que temos exactamente as mesmas memórias e que estamos a envelhecer! Todos nos lembramos de ver séries como Marretas, He-man, She-ra, Bia - a Pequena Feiticeira, Transformers, Thundercats, Cavaleiros do Zodíaco e quem não se lembra d 'Os Amigos de Gaspar?

É bom ter um baú de recordações para remexer de vez em quando!

quinta-feira, 24 de abril de 2008

In need

Foto: aqui

Há aqueles dias em que só me apetece dizer adeus e ir de férias. Sinto saudades das minhas havaianas e da areia e do mar.
Como se aproxima um fim-de-semana de três dias, se o tempo ajudar, talvez consiga tirar as havaianas da caixa e ir até até à praia...

terça-feira, 22 de abril de 2008

Letting go...

Foto: aqui.

A vontade há-de ser sempre maior.

Back to basics

... Ou o bom filho a casa torna!

Por dificuldades no outro espaço e me apetecer escrever, volto aqui.
Impuseram-se algumas mudanças de decoração. Mas de resto, tudo na mesma e sempre em mudança!
Não há saudade que não obrigue a um regresso.