terça-feira, 23 de setembro de 2008

Não custa tentar...














Jimmy Choo_Outuno/Inverno 2008

Porque dá vontade de comprar a colecção quase toda. Porque sou obsessivamente fanática por sapatos e um nadinha perdida por malas. Porque o meu aniversário já não está assim tão longe e o Natal também é já ao virar da esquina. Porque não custa tentar... Também não custa dizer que adoro os sapatos do senhor Jimmy Choo. Nunca se sabe se a fada madrinha por aqui passa. Eu não sou fã de sapatos de cristal e também não quero ir a bailes de príncipes. A fada poupa no vestido, na carruagem e no pajem. Pode só mesmo deixar um par de sapatinhos n.º 36 ou 35,5 dependendo do modelo que eu não sou esquisita, nem exijo muito!

quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Fogo que arde sem se ver?*


- Somos lenha da mesma fogueira...
(já ouvi isto em qualquer lado)
- O fogo arde até consumir tudo à sua volta. Sou mais uma pessoa de lume brando.

*No, thanks!

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

O mundo (ainda) não acabou

Large Hadron Collider (grande colisor de hadrões)

Profetas da desgraça disseram que seria o fim do mundo através de um buraco negro... mas não foi. Afinal parece que o mundo só acaba lá para finais de Outubro que é quando o 'bicho' atinge a potência máxima.
Nessa altura, supostamente, irão conseguir provar, ou não, o aparecimento de uma partícula específica que vai culminar na, provável, atribuição de um Nobel a um dos criadores das 2 teorias existentes, mas, para mim que nada percebo de física, esta é a parte menos interessante da coisa.
Um aspecto interessante é o recriar do Big Bang. Será que vão mesmo conseguir recriar a criação de um universo?
Confesso, no entanto, que acho muito mais interessante o especular sobre o possível fim do mundo no espaço de um mês. (Claro que se isso fosse uma possibilidade, acho que a experiência nem seria levado a cabo.)
Se, de facto, a experiência fosse irreversível e o mundo estivesse mesmo para acabar, com data marcada para 26 de Outubro o que é que aconteceria?

quarta-feira, 10 de setembro de 2008

...



Porque, por vezes, preciso de silêncio. Gosto da solidão. Dos momentos em que estou só, comigo. Momentos em que quero ficar invisível. Em sossego, em solidão, em reclusão. Porque, por vezes, preciso apenas de mim.

terça-feira, 2 de setembro de 2008

Pensamento do meu dia

O empenho que se aplica àquilo que se faz (infelizmente) depende mais da necessidade do que do carácter.