terça-feira, 30 de maio de 2006

one wish

...pudesse o perfume das orquídeas fazer-te ausente na minha pele e eu transformaria o meu corpo num jardim...

sexta-feira, 26 de maio de 2006

Piropos

Sou contra, em regra.
Mas não há regra sem excepção! E hoje é o caso.
Talvez porque está um dia lindo. Talvez porque se tenha notado a minha tendência para postar letras de músicas. Talvez porque também se tenha tornado um hábito. (Estas hipóteses não serão o caso!). Enfim, não sei porquê!
Sorri, quando ao passar pelo centro comercial aqui perto fui brindada por um excerto da inesquecível Garota de Ipanema de Vinicius de Moraes.
Que mulher não recorda os tempos em que as serenatas eram um hábito dos apaixonados!
Que mulher não gostaria de ser presenteada assim? (Eu gostei muito da única que me ofereceram.)
Mas, assim, hoje justifica-se mais uma letra:


Olha que coisa mais linda, mais cheia de graça
É ela a menina que vem e que passa
Num doce balanço, caminho do mar
Moça do corpo dourado, do sol de Ipanema
O seu balançado é mais que um poema
É a coisa mais linda que eu já vi passar
Ah, por que estou tão sozinho?
Ah, por que tudo é tão triste?
Ah, a beleza que existe
A beleza que não é só minha
Que também passa sozinha
Ah, se ela soubesse que quando ela passa
O mundo inteirinho se enche de graça
E fica mais lindo por causa do amor

quarta-feira, 24 de maio de 2006

Leve Beijo Triste*

Como é bom poder ver o sol e o céu e sentir a agitação de uma cidade!
Ao levantar-me todos os dias dar graças, por estar viva, por sentir, por saber, pura e simplesmente por poder viver.
Sentir finalmente a paz em meu redor e saber que não estou só, pois Tu estás aqui comigo, És o Milagre que renasce cada dia com o nascer do sol e o acordar da vida.
Sinto que estou só, penso em Ti e sei de um saber que vem de mim, que não estou só, vejo que Estás e Estarás sempre comigo.
Vejo o mar azul, imóvel aos meus olhos.
Felicidade sublime, os mais simples dons da natureza para nós, para mim que quando sinto a fraqueza ou a solidão a aproximar-se, busco no sol, no céu e no mar que são Teus a força para me reanimar, sentir a força, o vigor, o sangue como seiva a correr, a dançar em mim.


Procuro... ainda procuro, talvez um novo rumo... não sei qual... mas sei que ainda procuro... além de Ti... além da natureza... como o sol, o céu, o mar... Tudo aquilo que me acalma e me renova, me fortalece e me purifica... enfim, tudo aquilo que Tu sabes me faz Ser como Sou...


Teimoso subi
Ao cimo de mim
E no alto rasgei
As voltas que dei
Sombra de mil sóis em glória
Cobrem todo o vale ao fundo
Dorme meu pequeno mundo
Como um barco vazio
P'las margens do rio
Desce o denso véu lilás
Desce em silêncio e paz
Manso e macio
Deixa que te leve
assim tão leve
Leve e que te beije meu anjo triste
Deixo-te o meu canto canção tão breve
Brando como tu amor pediste
Não fales calei
Assim fiquei
Sombra de mil sóis cansados
Crescendo como dedos finos
A embalar nossos destinos
Deixa que te leve
assim tão leve
Leve e que te beije meu anjo triste
Deixo-te o meu canto canção tão breve
Brando como tu amor pediste
*Paulo Gonzo

segunda-feira, 22 de maio de 2006

Memories

All that reminds me of you...

I remember the day I’ve met you
a smoke passing between
nothing more
nothing less
that moment was true

I fell in love
not with me
not with you
with that shade
with that light
our future seemed blue

then the time passed by

I never said “Hi”
everything was forgotten

I went through my feelings
over and over again

and so it ends…

quarta-feira, 17 de maio de 2006

Devil unleashed...

Sou crente.
Acho por bem começar assim. Tem dias que acredito em Deus, outros, em Deuses, mas sempre acredito num poder superior.
Ontem o dia e a noite foram atribulados. Foram atribulados para mim e para mais pessoas da minha família. Nada de ruim acontece a quem não merece (ouvi dizer). Não é verdade. Ontem, acredito que o diabo andou à solta. Segundo me contaram, isso acontece numa noite em Agosto, na véspera do dia de S. Bartolomeu. Mas não é assim. Ontem andou à solta e fez estragos irreparáveis na minha família. Podia não partilhar isto com ninguém. Ou podia fazer o que estou a fazer e partilhá-lo com quem me lê. Faço-o porque hoje cada vez que o telefone toca me assusto. Cada notícia é pior que a outra e já não quero mais ouvir o telefone tocar. Faço-o porque sempre achei que quando uma coisa acontece, podia ter acontecido pior, mas ontem aconteceu. Aconteceu o pior. Mas a cada um que aconteceu o pior que podia acontecer, dadas as circunstâncias, aconteceu também a dádiva. Ao lado que cada um que caiu, esteve alguém para ajudar a levantar. Esteve um anjo. Alguém capaz de salvar e mostrar o caminho. E afinal, percebe-se que não aconteceu o pior que podia ter acontecido. Tudo pode ser remediado. As feridas que ficaram vão poder ser curadas.
E porque sou crente, peço, não evitar cair, porque a isso também se chama vida, mas peço que sempre que cair ou melhor sempre que alguém cair, que apareça ao lado um anjo que ajude a levantar!

segunda-feira, 15 de maio de 2006

quinta-feira, 11 de maio de 2006

May rain

Life is not always what it seems...
Hoje o sol brilha forte, mas para mim parece estar a chover e o frio que sinto, o sol não pode aquecer...
Há preços altos demais para serem pagos pelo orgulho, preferia não ter dito o que disse, preferia não ter feito o que fiz.
A mania incessante de decidir unilateralmente uma vida... Quando o erro não pode ser reparado, mais vale deixar de o encarar como um erro e pensar que foi uma escolha que se fez, pelos dados que na altura se teve. Mesmo quando se olha e reavalia essa escolha e os motivos parecem pequenos... Paga-se o preço pelo sangue quente e reacções à flor da pele. Aceita-se o caminho que se escolhe. O caminho que a razão escolheu e espera-se a conformação do coração.

*Só p'ra dizer que te amo,
Nem sempre encontro o melhor termo,
Nem sempre escolho o melhor modo.
Devia ser como no cinema,
A língua inglesa fica sempre bem
E nunca atraiçoa ninguém.
O teu mundo está tão perto do meu
E o que digo está tão longe,
Como o mar está do céu.
Só p'ra dizer que te ámo
Não sei porquê este embaraço
Que mais parece que só te estimo.
E até o momento em que digo que não quero
E o que sinto por ti são coisas confusas
E até parece que estou a mentir,
As palavras custam a sair,
Não digo o que estou a sentir,
Digo o contrário do que estou a sentir.
O teu mundo está tão perto do meu
E o que digo está tão longe,
Como o mar está do céu.
E é tão difícil dizer amor,
É bem melhor dizê-lo a cantar.
Por isso esta noite, fiz esta canção,
Para resolver o meu problema de expressão,
P'ra ficar mais perto, bem mais de perto.
Ficar mais perto, bem mais de perto.*


*Problema de expressão - Clã

quarta-feira, 10 de maio de 2006

Toalha azul

Uma toalha azul...
o corpo semi - descoberto
uma luz
iluminava o corpo descoberto
e nesse momento sentir
o amor
como no primeiro momento...

Parece um sonho
a lembrança que se guarda
o sonho
a toalha azul...

Não se consegue expressar
o amor
a vontade de ficar
acender um fogo
que não se consegue apagar
a ânsia de ficar
não se sabe escrever...
Em tudo o que se faz
em tudo o que se diz
em tudo o que se pensa
em tudo o que se sente
um estar no outro
sentir-se na pele
a pertença
algo que custa controlar

Sentir-se viver
só por ver
sentir-se sorrir
só por ouvir
sentir-se brilhar
só por tocar
sentir-se voar
só por amar

domingo, 7 de maio de 2006

Goose bumps

Arrepio que sente desde a nuca, sorriso que estremece o olhar...


I could say I love you every three seconds... I love you ever since that first moment our eyes met... But when it comes down to it nothing seems to work.
It's time to face it. Just love is not enough...

quinta-feira, 4 de maio de 2006

Insanidade

É loucura, certamente, este querer insano que se apodera a cada momento de fraqueza. É absurda, definitivamente, esta vontade de te rever, que me leva a buscar o teu rosto. Busco cada traço, cada ponto luz do teu sorriso e recordo o que não mais quero viver. O teu olhar mantém-se frio e distante, mas ainda vejo o que vi há tanto tempo. O que eu não queria mais ver. Ainda te reconhecer cada traço, cada gesto, reconhecer-te no meio da multidão e pressentir-te. Ouvir um único som e saber que és tu. O que mais me dói é ainda saber-te de cor.


Sei-te de cor*

sei de cor
cada traço do teu rosto, do teu olhar
cada sombra da tua voz e cada silêncio,
cada gesto que tu faças,
meu amor sei-te de cor

sei cada capricho teu e o que não dizes
ou preferes calar, deixa-me adivinhar
não digas que o louco sou eu
se for tanto melhor
amor sei-te de cor

sei porque becos te escondes,
sei ao pormenor o teu melhor e o pior
sei de ti mais do que queria
numa palavra diria
sei-te de cor

sei cada capricho teu e o que não dizes
ou preferes calar deixa-me adivinhar
não digas que o louco sou eu
se for tanto melhor
amor sei-te de cor

sei de cor cada traço do teu rosto, do teu olhar
cada sombra da tua voz e cada silêncio,
cada gesto que tu faças
meu amor sei-te de cor


*Paulo Gonzo

quarta-feira, 3 de maio de 2006

Temos Boneca!

Graças aos bons ofícios da mafaldinha também fui visitar o Southpark Studio.
Para quem goste, não só é viciante como diversão garantida!
E claro que aproveitei para fazer a minha bonequinha!



Digam lá que não está o máximo?! (a minha modéstia foi ali dar uma volta à praia, mas depois ela volta!)