terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Há tanto tempo...

Imagem daqui


mais uma noite em que parece que a tua luz não me quer deixar dormir... a tua luz... fragmentos de memória hoje atiçados... memórias que ninguém deveria ter... nem tudo precisamos viver... há jogos que não precisamos perder... passou tempo demais para que me lembre... não passou tempo suficiente para me apagar o receio de voltar a sofrer assim... não foram sequer as promessas, mas a crueldade que mais afundaram a cicatriz que me ficou, a que me aviva a memória sempre que ouço algo similar... a memória da dor não dói mas o tempo não a apaga... mas não é por isso que se deixa de viver... o receio que hoje senti não passou de uma gota num mar de certezas.

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

A noite mais fria do ano

ou não.

Mas com o frio lembrei-me de gelo. Lembrei-me de fissuras, quebras e colagens. Pensei numa jarra de vidro. Se cair... pode estilhaçar, quebrar partes ou só rachar. Mas o certo é que a jarra não volta a ser a mesma. Por mais habilidade de artesão que possa haver. Fica sempre a marca, fica sempre a cola. A jarra pode voltar a ter o mesmo uso, mas não terá a mesma integridade, a mesma unicidade. Prefiro que a jarra não seja de vidro e que não tenha que me obrigar a estar "cheia de dedos" com medo que quebre. Prefiro algo mais resistente, mais natural. Não gosto que as coisas se quebrem. Não voltam a ser as mesmas. Definitivamente, prefiro o que me permite reagir por instinto, ser natural, ser eu.

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Sempre

Vivo e perco-me e corro e escolho e penso e não penso e falho e caio e levanto-me. Ou não caio e sigo e arrisco e ganho. Ou não ganho e volto a tentar e a lutar até chegar... E chego ou não chego mas não paro... Não paro de pensar, de escolher, de sentir, de viver, de lutar... E sigo... sempre seguindo em direcção à luz, à escuridão... mas sempre caminhando e escolhendo, bem, mal... Que importa o real momento de escolha se não no momento de aceitar ou não aceitar e mudar ou não a escolha que se fez? Mudar o que se pensou sobre a escolha, naquele momento de decisão em que parecia a verdade do sentir e não é... ou é e deixa de importar quando se sente o tempo a passar... E passa como o vento forte que tudo muda com o seu passar... e assim é a verdade ou a mentira daquela escolha que se faz ou não faz e nos muda ou não muda, mas em nós fica a pensar e a sentir... Sentindo sempre aquela hora de escolha, de decisão que poderia ter sido mudança e não foi ou foi e se sente e não se esquece... Nunca se esquece o pensar, o sentir, o viver... e segue connosco o caminho da vida, na luz, na escuridão, na penumbra, na alvorada ou na madrugada. Sempre com ou sem luz, dia ou noite, vive, fica, sente, pensa, escolhe, segue... Continua a seguir. Sempre sem verdadeiramente parar... não se pára, hesita-se e pensa-se e escolhe-se e vive-se e assim é. Não se morre nunca enquanto a vida corre e nós corremos ao lado dela e não deixamos que nos ultrapasse ou atropele e seguimos. Sempre seguindo. Sempre pensando. Sempre escolhendo. Sempre sentindo. Sempre vivendo.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Another perfect day...

I'm glad I spent it with you.

Há dias assim... Começam bem, correm sobre rodas e mesmo a pequena nuvem que me apareceu acabou por se dissipar no teu abraço. Há coisas que não posso resolver.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Like a puppet on a string

Imagem daqui

Porque poderia ser uma marioneta na ponta dos teus dedos, se não te tivesse já entregue os cordéis do meu coração.

domingo, 29 de novembro de 2009

Um toque de divino



Céu e paz. Por entre as nuvens entrevêem-se os raios de sol que querem brilhar e iluminar o cinzento. Rasgam o céu em jeito, como quem diz que a bruma é tão necessária como a luz. Só sabendo a diferença se pode dar valor ao que se tem. Eu sei e dou.

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Never forget

Imagem: Google

Porque por vezes também é importante parar para recordar o caminho que se fez... Gosto de me lembrar do caminho que percorri. O caminho que me trouxe aqui. O caminho que me trouxe a ti.

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Neblina

Mar revolto. Céu de tempestade. Paisagem de sonho. Momento inesquecível. Paz e serenidade. Contemplo a força da maré. Fico ali momentos com o sol. Só. Com os meus pensamentos. Por detrás de todas as nuvens cinzentas sei que o céu brilha de um azul intenso. Sim. Não será a neblina nem o turbilhão das ondas em fúria que me irá assustar, desde que continue a haver céu azul para alcançar.

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Timeless

Imagem: Google

Sem princípio... Nem fim...
O começo sei. A primeira vez que os nossos olhares se cruzaram e sorrimos. O resto... o resto é uma história longa. Feita de momentos... olhares... sorrisos... toques... sentimentos... Feita de ti e de mim.

domingo, 8 de novembro de 2009

Smiling over the rainbow


A felicidade é assim. A chuva abranda. O arco-íris rasga o céu. E Lisboa é a nossa cidade…

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Se eu podia viver sem o meu desassossego? *

Basta-me um sorriso, um olhar. Sintonia. Um toque na mão. E o que acontece é sentir-me parte de céu. Basta-me olhar-te, ouvir-te, pensar em ti. O meu mundo sorri. Tudo parece maravilhoso. Até consigo dizer, escrever, o que sinto, a ternura, a paixão, o desassossego e ... tudo o mais. Sinto que há tanto por dizer, por sentir, por viver. Não sei se sei continuar a encontrar as palavras para tudo o que o meu coração sente, para tudo o que o meu corpo e a minha alma me dizem. Como explicar que me faz sentido estar nos teus braços. Que o meu mundo é um lugar feliz. E o que me acontece é sentir-me no céu.

* Poder podia, mas não seria a mesma coisa!

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Unforgettable

Há momentos assim... Ficam tatuados na memória, na pele, no coração, na alma... Tinha que ser Lisboa.

domingo, 1 de novembro de 2009

Hoje e sempre

Aprende-se que "amor é fogo que arde sem se ver". Mentira. Arde. Vê-se. Sente-se. O calor em cada poro que emana electricidade e prazer. Deixar atear a fogueira dos sentidos à flor da pele. Deixar o sangue ferver pelo corpo. O tempo será feito de ti e de mim. De nós. Na saudade apaixonada de cada expressão. De cada sorriso. De cada olhar. De cada toque. De cada beijo. Quero-te meu bem.

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

I'm in heaven...



É que é mesmo isto... é assim que me sinto. No céu. A dançar. Feliz. É mesmo isto. És mesmo tu.

And my heart beats so that I can hardly speak.
And I seem to find the happiness I seek.

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Flying...

Singing...

Voar até às nuvens e ficar num cantinho só para mim e para ti. Deixar que as estrelas brilhem no teu olhar. E o nevoeiro tapar a Lua para nos deixar a sós. O coração bate ao compasso do som da música que estamos a cantar. Sim. Bate ao ritmo da felicidade... Saudade.

Sabe a pouco.

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Arritmia

... eu vou só ali uns momentos...

Imagem: Google

The best is yet to come...

e Michael Bublé invade o Egos...

Desta vez tão somente porque não consigo explicar de outra forma o teu toque. Não consigo dizer o turbilhão que me invade. Não consigo descrever como um leve toque me fez tremer. Não consigo explicar como um olhar me fascina ou como um sorriso me ilumina. Não consigo dizer tudo o resto que me faria escrever linhas sem fim e que tanto me prende e me faz acreditar que temos todo o tempo do mundo...


segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Do it right

Tempo dá-me tempo.
Não duvido. Mas sinto aquele nervoso que chamam miudinho, porque a insegurança bate à porta do meu coração. Hoje fiquei bloqueada com todos os pensamentos e sentimentos que me atropelavam. As ideias em sufoco a quererem sair, não ia conseguir completar uma frase com sentido. Optei pelo silêncio. Neste momento é-me mais fácil escrever. Não consigo reconhecer muitas das sensações que me trespassam. Sinto-me em suspenso, com medo de cair. Pergunto apenas o que me sinto preparada para ouvir. Não, não é mais fácil escrever. As ideias surgem em catadupa... não as consigo alinhar.

domingo, 18 de outubro de 2009

Que lembranças traz um sorriso?

Não tenho que justificar o que sinto. Não preciso justificar as minhas acções. Ouvir conselhos amigos não me muda. Não é que não tenha ouvido. Apenas quero ouvir sim o bater do meu coração. Suave quando sinto que sentes o mesmo por mim. Descompassado, desritmado, cheio de vontade de saltar do peito a cada presença tua. A cada sorriso. A cada olhar. A cada toque. Pára! Sinto-o parar... sei que é para absorver a plenitude do que me fazes sentir. Depois sinto-o recomeçar devagarinho. A bater de mansinho... Sinto-me estremecer e já ele está de novo acelerado. Sinto que já sou tua. O meu corpo não me deixa sentir de outra forma. Nem quero. O meu coração não me deixa negar. Agora está a bater apertadinho com a saudade por não te ver. Ritmo suave e baixinho. Mas a lembrança do teu sorriso basta para ele voltar a bater.

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Postal

Saio ao final da tarde, com os Restauradores como destino. Despacho-me mais rápido do que o previsto. O pôr do Sol começa, mas o calor ainda se faz sentir. Resisto? Claro que não. Desço a rua Augusta a cantarolar ao som do que estou a ouvir até ver o Tejo no seu esplendor. Subo a rua e reparo na calçada que brilha de tão gasta. Chego ao Rossio e considero o Metro... Nan. Fora de questão! Está calor demais. Tenho demasiadas saudades para me despedir já. Fico no Martim Moniz em silêncio e imóvel a contemplar o Castelo que em criança sempre sonhei meu. Passa um amarelo da Carris só para me fazer sorrir. Vou a pé! E assim vim até casa a sorrir a matar saudades da minha Lisboa. É cidade que faz parte de mim. Tenho Lisboa entranhada na pele!

domingo, 11 de outubro de 2009

Is it?


Há músicas que vou gostar sempre! Esta é uma delas e o conselho até não é assim tão mau. Se bem que não será só no beijo que se sabe...

terça-feira, 6 de outubro de 2009

O meu problema de expressão

Sufoco. O meu corpo atraiçoa-me. Falha-me quando o que mais preciso é controlo. Não há modo de dizer tudo aquilo que sinto. Não há forma de explicar o oito e oitenta de tudo o que se passa nos meus pensamentos. Tenho momentos em que digo e escrevo tudo o que quero. Tudo o que sinto que não devia dizer. Apetece-me deixar sair tudo o que trago travado. Não me sinto confusa quanto ao que sinto, mas preferia não sentir que causo tanta confusão. Queria que tudo fosse mais simples. Que pudesse ser uma opção fácil para mim. Afastar-me ou deixar-me ficar e correr o risco de perder. Não digo tudo o que estou a sentir. Não posso mentir. Posso apenas guardar o sinto para mim. Calar no meu silêncio tudo o que quero. Já tentei dizer, mas as palavras recusam sair. Não encontro o momento. Queria poder ficar mais perto, bem mais perto.

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Chuva acabada de cair...

Hoje saí à rua com um dos cheiros que mais gosto. Gosto dos dias cinzentos em que a chuva vem dizer olá e deixa o chão molhado. Respiro fundo.
Mais um ano - getting older, not wiser!
Almoço em família. Jantar com amigos. Noite de farra. Algumas ausências dos amigos mais antigos. Algumas surpresas dos amigos mais recentes. Envelhecer assim sabe bem. A noite terminou de manhã com muita música e muita dança.

No regrets my dear, I knew you would return!

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Almost...

O que é que se faz quando alguém diz que merecemos tudo, mas depois nos fica a faltar exactamente o que queremos?

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Momentos do dia

1 - Alívio por ter uma data de situações resolvidas.
2 - Inscrição num curso que queria fazer há muito.
3 - Chegar ao trabalho e ver um sorriso estonteante.
4 - Ser transferida e receber formação em 5 minutos.
5 - Desejar ter nervos de aço e "balls of steel". Manter o sorriso, mesmo sentindo que soltaram o Freddy Kruger no meu estômago.
6 - Respirar fundo e saber que há sempre um amanhã.

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Still waiting

Por saber que o teu toque me estremece.
Por saber que o teu sorriso me fascina.
Por saber que o teu olhar me ilumina.

terça-feira, 22 de setembro de 2009

domingo, 20 de setembro de 2009

Amor de pai

... trabalho ... choro ... álcool ... amigos ... sonhos ... borboleta ... estrelas... conversa difícil ... recomeços ... fim-de-semana longo...
eu sei que a culpa não é tua

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Ironic

A vida não tem banda sonora, mas há momentos em que certas músicas se aplicam. Queria apenas encontrar o botão "off" para deixar de ouvir Alanis Morissette.

...it's meeting the man of my dreams...

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Era o quê mesmo?

E quando me preparava para escrever... sou ausente supreendida por ocupado e esqueço por completo a ideia que tinha para postar!

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

And so is hell...

Eu sei o que disse. Recordo cada palavra. Mereço cada palavra tua que é arma de arremesso. No entanto, só me consigo sentir a criança na sala dos adultos. Não consigo escolher pela razão. Não agora. Não sei escolher as palavras para o momento. Não há palavras certas. Também não escolho o momento. Não o saberia fazer. Remorsos, alguns. Mas não saberia viver de outro modo. Não posso ser culpada por não sentir o que seria suposto. Não posso. Não preciso que aceites, talvez apenas que entendas. Não posso mudar quem sou. Não quero fazê-lo.

sábado, 12 de setembro de 2009

Back...

Imagem daqui

Diário da Mexilhoeira da Carregação # 8 - sãs e salvas

Na próxima visita chamar táxi com motorista sóbrio!
Houve tempo para mais um gelado e descobri que há Nosolo Italia mais perto do que pensava. Chegámos bem. Obrigada minha amiga.

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Diário da Mexilhoeira da Carregação # 7 - agradece a sua visita

Eu também agradeço. Saio da Mexilhoeira da Carregação com a sensação de quem sabe que tem tempo para voltar.
Deixei a última entrada para revelar que esta freguesia é a capital nacional do drifting. LOL! Voltei ao mesmo café mais uma vez. Cumpri o propósito de descanso e paz que me trouxe. Sentia falta de mim. Basta-me ter a certeza do que não quero para seguir em frente e ser feliz. Antes de partir ainda tem de haver tempo para mais um gelado.

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Diário da Mexilhoeira da Carregação # 6 - cheiro de chuva acabada de cair e batido de goiaba e bolo de chocolate

Está um calor que não se pode! Nem a chuva que caiu fez arrefecer.
Depois de almoço e do corte de cabelo voltei ao mesmo café. Sentei-me novamente na mesa no canto. Tem um toque de aconchego e solidão que me faz sentir bem. Estou em paz. O que ainda não está bem há-de ficar. O rádio toca. "I'm yours" do Jason Mraz paira no ar... "don't hesitate"... Eu já hesitei tudo o que tinha a hesitar. Ouvir que não estou a caminhar para nova, p'ra mim é apenas mais um motivo. "So I drew a new face and I laughed." E sim Jason, já percebi que não há necessidade de complicar!

Diário da Mexilhoeira da Carregação # 5 - friends will be friends

Nada como acordar devagarinho depois da primeira noite efectivamente bem dormida desde há umas semanas. O final do dia de ontem foi em bom. Jantar ao qual quase faltava o botão "on". Conversa até de madrugada. Novidades... Inesperadas, chocantes, felizes! Tinha saudades. Podem passar anos, mas há coisas que dificilmente irão mudar. Ainda bem!

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Diário da Mexilhoeira da Carregação # 4 - onda blu e maracujá

Os melhores gelados a seguir aos do Sr. Santini, são aqui perto, na Nosolo Italia. Estava bom de ver que o final da tarde seria ali. Duas bolas enormes que a menina não foi nada forreta! Bom demais! (era mesmo um convite) Soube bem a caminhada para lá. Soube bem a caminhada para cá.
Por hoje já chega de diário público e a ligação não ajuda... a rede é mínima, so let's call it a day!

Diário da Mexilhoeira da Carregação # 3 - best of dos israelitas

O almoço tem que ser o que houver. Salsichas e fusilli parece-me óptimo!
Isto de estar com uma "velha amiga" é conversa que nunca mais acaba. Mas há que descontrair. LOL! Olha o alemão mais giro que conheço. Ah! Olha as fotos do congresso... Desfile de fotos de israelitas giros, giros. Faz bem à vista, mas nestas coisas sou nacionalista!
Café da freguesia. Sento-me na mesinha redonda no canto. Observo. A mesa de professoras da escola que é mais acima, falam do ano lectivo e da reunião que vão ter... (boring!) depois começaram a falar de alguém... Uns senhores na mesa ao lado discutem as opções do Queirós. Na mesa em frente, dois senhores discutem loteamentos camarários, licenças de construção e formas de as obter. Estou a aprender!
Não ouço um carro desde que me sentei.
Ritmo diferente. Estava a precisar de abrandar. Belinha na testa! Não trouxe bikini! LOL Eu sei que não preciso de apanhar Sol, porque a minha cabeça já fritou o que tinha para fritar e agora eu preciso é de a arrefecer. Mudanças. Decisões. Já me consigo fazer muito mais sentido. Só precisava mesmo parar.
Os senhores já se foram todos embora. Só restam as professoras que protestam porque o bacalhau estava salgado e eu aqui no canto a escrever.
Passou uma mota. O primeiro ruído que me arranca dos meus pensamentos desde que me sentei. O telefone não deu sinal. A reunião ainda não acabou. Uma música começa a tocar na minha cabeça... "você é luz, é raio, estrela e luar, manhã de Sol..." e o telemóvel toca. A reunião terminou.

Diário da Mexilhoeira da Carregação # 2 - a chegada

Não há coincidências... LOL! O filme de bordo "Serendipity". Tirem-me daqui. O senhor ao meu lado mudou de lugar. Menos mal. O telefone toca. Não vou ter esta conversa aqui e agora. Olho para ecrã, o filme está quase no fim. "Os gregos quando alguém morria só faziam uma pergunta, viveu com paixão?" Espero não deixar dúvidas quando chegar a minha altura.
Lembrei-me de ti... Se há coisa que já percebi é que me ia custar se deixasses de fazer parte dos meus dias.
"Senhores passageiros chegámos."
- E táxis há?
- É só esperar aí um bocado que eles aparecem.
Tudo bem. Esperei. Já cheguei.

Diário da Mexilhoeira da Carregação # 1 - a caminho

O dia amanheceu como o meu estado de espírito. Pronto para uma tespestade. Raios e trovões. Saio para a rua e a chuva desaba. Ai que me vou atrasar! Não estou habituada a isto. A chuva cai cada vez com mais intensidade. Eu sei! Estou cada vez mais decidida.
Já sentada reparo que alguém ouve Queen "...God knows I'm falling in love...". Sorrio. A vida é, de facto, fantástica!
Olho para o relógio, eu não me atrasei, mas alguém o fez. O senhor que se senta ao meu lado não tomou banho. A viagem vai ser longa.

terça-feira, 8 de setembro de 2009

The world is mine

Imagem: daqui

Acho que seria mais fácil se dissesse que não estava bem. Ou talvez, um estou arrependida do que digo, do que faço, do que escolho. Mas não! Não sou assim, não consigo ser assim e não é agora que vou começar. Gosto muito de mim! Por mais que me queira convencer do contrário, só sei viver a minha vida de uma maneira and it's just like Mr. Sinatra used to sing it: "My way". E não, não consigo pedir desculpa por isso. Vou continuar a fazer as coisas como tenho feito até agora, só assim consigo ser feliz! Não adianta viver de outro modo. Gosto de sorrir pela manhã porque estou viva! Gosto de sentir o meu coração acelerar a cada sobressalto, a cada obstáculo, a cada vitória, porque a vida só vale a pena ser vivida apaixonadamente, a cada instante. Cada momento, cada sorriso, cada olhar, únicos. Nada na vida se repete. Sinto que o mundo é meu sim. O meu mundo. Aconteça o que acontecer, o futuro só pode ser fabuloso, porque não está escrito, porque está à espera de ser vivido! Sorrisos ou lágrimas? Who cares! Eu só quero viver.

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

O meu presente eu quero que seja....

Eu já me mimo que é um exagero! Mas como estou perto de envelhecer mais um ano, tenho que me mimar um pouco mais. Pensei começar uma nova rubrica para ir indicando presentes, mas como tenho um primo que desde pequena sabiamente me ensinou "se precisares de alguma coisa, compra", eu já aprendi e quando quero alguma coisa vou à loja!
As sandalinhas já foram um bom começo! Também já me dei um outro presente, se bem que chamar presente é um pouco forçado, mas para o efeito, é algo que me aliviou, e que veio de meio desejo da "bruxinha". Mas ainda tenho muitos dias pela frente até ao dia T, vou dar-me umas merecidas férias e rumar ao Sol que ainda se faz sentir.
O outro meio desejo acho que é mais difícil... mas eu sou menina para ter esperança e acreditar que tudo se resolve pelo melhor!

domingo, 6 de setembro de 2009

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Coming through

Imagem: daqui

Há coisas que custam mais. Há outras que custam menos. A vida é mesmo assim e eu não sou de me queixar. Mas lá que há caminhos mais tortuosos, há. E também há a velha máxima de que mais vale quebrar que torcer. E depois há o "com a idade vais ver que o orgulho pode ser engolido de vez em quando", não foi bem isto, mas quase, o que um amigo me disse. E ele está coberto de razão. Tenho que pensar em mim primeiro e não levar tão a sério tudo o que digo e prometo. Porque há limites. Um deles é ter noção do que quero, do que sinto, do que vale a pena e do que não vale. E lá está, citando novamente o meu amigo, "é mais fácil dizer do que fazer e eu agora já falo porque posso", e é mesmo. Easier said than done. P'ra mim actualmente a melhor tradução é: isto de uma pessoa se apaixonar em alturas menos próprias dá confusão. E são as noites sem sono e as ideias a mil à hora... e depois pensar que tudo acontece por uma razão e que não há nada que o tempo não ajude a resolver. Portanto, o caminho tem que ser feito, há dificuldades, há, mas e então?

terça-feira, 1 de setembro de 2009

WTF?!

ou problema interno de comunicação.

Eu nem sequer sou ciumenta. Pior... Não tenho sequer esse direito. Porque raio é que o meu cérebro não explicou isso ao meu estômago?

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Silêncio

Without inspiration - Mel Gama


Entre mim e os meus pensamentos, os meus sentimentos falam mais alto. Gritam-me. Sai-me pelos dedos tudo o que sinto. Escrevo páginas sem fim. Mas não me saem as palavras certas. O que dizer? Em vão, procuro em mim a capacidade de dizer a verdade. Sairia seca e fria. Não. Assim não. Tempo... Calma... E as palavras virão.

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

terça-feira, 18 de agosto de 2009

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

domingo, 16 de agosto de 2009

Still out #1

He´s just not that into you...


but could he just not be that into my dreams?

quinta-feira, 23 de julho de 2009

It should be easy...


É mais fácil quando alguém nos diz o que fazer, quando o nosso grilinho falante nos impõe o caminho correcto. Mas e quando o grilo se recusa a falar... Fico comigo e a minha consciência que sempre foi um bocado muda. Fico entre o céu e o inferno, sem saber para que lado cair. Semi-perdida em algo que considero quase loucura clínica. Há parte de mim que te quer com uma força quase demente. Há parte de mim que rejeita toda e qualquer mudança à vida que tem. Há parte de mim que só pensa em fugir e deixar todas as decisões para trás. Começar tudo de novo bem longe de mim. Falo comigo. Tento colmatar a falha do meu grilinho falante imaginando tudo aquilo que me diria se aceitasse falar. Se aceitasse dar-me a reprimenda que eu achava merecer. Mas o mundo não é a preto e branco e mesmo o cinzento tem vários tons. Quanto mais o que dizer de todas as cores com que sempre pintei a minha vida? Queria ser boneco em vez de menino, para que pudesse ser mais fácil.
But then again, there you are. Staring at me with that scornfully smile that says without saying "I told you so". E instintivamente sei que não trocava esta vida por nada. Seja ela de murros em ponta de faca, de fins e recomeços, de gargalhadas e soluços. É igual. I'm here to stay. E eu esqueço que queria ser boneco e sigo caminho com olhos de menina e inocência de louco porque o caminho que percorri já me trouxe até aqui.

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Once more

Imagem: Google

Eu sei que disse que não voltaria a dançar. But look at me. Estou pronta. Will you still dance with me?

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Somewhere over the rainbow

Há dias em que a chuva cai com mais intensidade que o previsto. Cai água. Não há guarda-chuva nem abrigo. São os dias em que se aprende a andar à chuva e gostar...
Há uma série de coisas sobre as quais queria falar... Mas aprendeu a calar. Queria dizer que já não o ama. Sabe que não é a verdade. Seria a verdade mais simples. Mais simples do que admitir que a vida passa, o tempo muda. O coração mudou. Já não é o mesmo amor que os une. Nada diz. Tenta dizer, mas não quer ouvir. Não quer gritar o que sente. Cala. Na expectativa que tudo volte a mudar ou não. Na esperança que depois da chuva apareça o arco-íris e o sol volte a brilhar.

terça-feira, 14 de julho de 2009

Como não há duas sem três...

... lá tive que ligar para o Olimpo outra vez.
Sempre me ensinaram que se deve ter cuidado com o que se deseja... e eu nunca achei que fosse conselho útil. Há que viver e aprender! Era uma questão de tempo até ter que voltar a ligar.
- Olimpo call center, bom dia!
- Bom dia! Fala a Sophia.
- Em que posso ajudar?
- Eu acho que isto vai ser complicado, mas eu liguei para aí há uns anos e fiz um pedido que ficou gravado... Liguei novamente passados uns anos e voltei a falar com a mesma pessoa e é com ela que eu quero falar.
- Ah! - e entre risos diz-me - Falou com a Servilia, vou passar.
Uma pessoa já não está para brincadeiras, porque desta vez é para reclamar e depois ainda se riem...
- Olá Sophia! Como tem passado?
- Lindamente! Não tem visto?
- Não me diga que ligou para reclamar?
Fiquei um bocadinho surpresa com a pergunta, não percebi se estava a ser ingénua, se cínica.
- Não acha que tenho razões para isso?! Acho que fizeram alguma confusão por esses lados.
- Não há erro algum!
Por esta altura era notório, ela estava a gozar.
- Como não?
- Sabe é que isto não é uma ciência exacta, há pedidos trocados, parecidos, alguns erros de quem pede, alguns erros dos registos, sabe que isto é uma vida muito complicada...
- E eu é que pago?
- Oh Sophia! Está a ser ingrata. Não vejo defeito nenhum...
- Não é uma questão de defeitos, é uma questão de loucura e eu é que estou a pagar pelas vossas confusões. Não me pode ajudar?
- Claro que não! Eu tenho-me divertido imenso. Aliás essa confusão, como lhe chama, já está em canal premium... E além disso, aqui não se aceitam reclamações!
Silêncio prolongado e desconfortável, no qual os meus pensamentos oscilam entre a raiva e a vontade de rir com tudo isto.
- Vá, não fique assim, já sabe que aqui os canais de televisão passam as vidas dos mortais. Mas não se preocupe, está aí o Verão e muitas das séries estão a terminar... Eu vou dar uma palavrinha à Deusa para ver o que se pode fazer. Mas tem a certeza do que quer?
- Servilia ter, ter, não tenho... Faça como achar melhor, que nestas coisas certamente tem mais experiência do que eu.
- Então adeus Sophia e logo que eu decida há-de dar conta!

quinta-feira, 9 de julho de 2009

terça-feira, 7 de julho de 2009

Once again...

Imagem: Please help me - Mel Gama



Come now... it's time to dance again.
Não quero, já não sei dançar.
Don't be silly, there are things we never forget... Come and dance with me.

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Sinto liberdade

Imagem: Freedom - Mel Gama

Mergulho fundo no mundo que não esqueço.
No mundo onde me perco.
Quero de volta o meu tempo.
Quero a vida.
Vivo, revivo, renasço.
Sempre que preciso.
Volto e revolto.
Não me nego.
Vivo.

quinta-feira, 2 de julho de 2009

Circo

Se tenho dias em que sou malabarista, outros tenho de trapezista, mago iluminado ou valente domador. Noutros não passo de pobre palhaço abandonado que perdeu o dom de encantar.
Nesta vida que não passa de um circo, posso apresentar, cantar e representar, criar tantas máscaras quantas o que quero parecer.
Mas no final do dia a máscara sai e fico só eu. Sem máscaras nem ilusões. Sem pinturas nem trapézio. Sem plumas nem lantejoulas, arame ou malabares. Guardei o chapéu e a caixinha de magia.
Apagaram as luzes. Calaram a música. A tenda está vazia.
E é quando a noite chega que o pobre palhaço se olha no espelho sem sombras dos risos que inventou que o cansaço cai se abate e bate no coração só que sofre em silêncio a saudade...

quarta-feira, 1 de julho de 2009

Mundo Cão

Entrei no teu jogo como um louco. Fui ingénuo e tu tão fatal... Joguei-me todo e foi tão pouco. O amor é o teu instinto mais cruel. Enquanto te sigo, melhor me faço o teu troféu. Entrei no teu jogo como um louco. Eu sou o teu escravo mais leal...
Ordena que te ame e odeia quando falho mas usa, abusa de mim e eu serei feliz até ao fim...
Marquei as unhas no corpo, tornei-me um bicho irreal. Infectei o lugar onde me punhas. O amor é este monstro final. Gostas do teu troféu erguido neste inferno. Marquei o corpo com as unhas, pus-me louco tão original.
Ordena que te ame e odeia quando falho, mas usa, abusa de mim e eu serei feliz até ao fim...

Ordena que te queira e odeia quando paro, leva-me, arrasta o meu corpo desfeito em pó.
Ordena que te ame e odeia quando falho, mas usa, abusa de mim e eu serei feliz até ao fim...

Ordeno que me odeies. Amo que tu sofras. O que uso, abuso. É sempre assim, morrerá por mim. Ordeno que me odeies. Amo que tu sofras. O que uso, abuso. É sempre assim. Morrerá por mim...


Ordena que te ame - Letra: Valter Hugo Mãe


(Nota: não encontrei a letra, portanto há que perdoar eventuais erros)


O videoclip: PERFEITO!


Nuns dias mais que noutros, vivemos mesmo num mundo cão, mas nem por isso a vida tem menos encanto ou a devemos viver com menos paixão. Ame ou não, sofra ou não, enquanto houver vida há sempre um novo dia, há sempre um novo despertar a saborear repleto de paixão.

segunda-feira, 29 de junho de 2009

sexta-feira, 26 de junho de 2009

Insomnia...

Não dormi. Dormi pouco. O pouco que dormi foi para sonhar contigo.
Posso-me pedir para deixar de sentir o que sinto por ti?
Pode-se pedir à Lua que não brilhe?
Fiquei sozinha... com os meus pensamentos e os meus sentimentos. Posso chamar-lhe o que quiser, mas loucura sei que não é. Confesso-me perdida... Quero-te e não te tenho... Preciso-te.... Ontem a Lua ouviu-me, ouviu o meu lamento, sentiu o sal das minhas lágrimas, sentiu a minha tristeza, sentiu que estou no meu limite, no limite da razão, da que me abandonou ao ponto de me tornar irreconhecível... ao ponto de me sentir quase esmagada pelo que sinto e não consigo controlar (como me posso exigir controlo?). Pedi-lhe que me esvaziasse do que sinto, não quero mais sentir... Pedi-lhe que me arrancasse do peito o coração e assim levasse o ritmo descompassado que ele agora tem... Mas não é verdade, a Lua adivinhou-me o coração e não me ouviu. Deixou-se ficar acordada para que não me sentisse tão só... Como pode alguém estar tão presente? Como pode alguém entranhar-se na pele com um leve toque? Como pode alguém assenhorar-se dos meus pensamentos? Como é possível ficar assim? Sorrisos e olhares... e o tempo...

Foto:Mel Gama

quinta-feira, 25 de junho de 2009

"dIStuRbiA"

Imagem: Google


...despedaçada entre o querer e o dever...

...é a dor da tua ausência em mim que me vai enlouquecer....

quarta-feira, 24 de junho de 2009

Versão resumida do diário da (minha) loucura

Tudo começou no primeiro dia em que comecei a trabalhar, lembro-me de ti logo desde o começo. Lembro-me vagamente desse sorriso que esteve sempre perto de mim.
Tentei negar... mas já me sentia atraída por ti e sabia-o. Soube-o na tarde em que estivemos perto e disseste que não gostavas de "mulheres-confusão". Soube-o na noite em que preferi manter a distância para não me denunciar. Soube-o no pequeno-almoço em que na sala cheia te sentaste na minha mesa e sorriste. E não fosse este o diário da minha loucura e seria o diário do teu sorriso. Sentaste-te na varanda a qual nem cheguei, sei agora, para te evitar. Para evitar o teu olhar. São memórias de ti que guardei desse fim-de-semana cheio de gente e confusão.
E desde então que fujo. Talvez não. Sentia sem saber. Começou por pequenas coisas. Talvez por isso me foi difícil entender. Sempre os sentimentos me vieram com força de avalanche e arrasaram tudo ao chegar.
Tentei aprender a fingir… tentei em vão controlar e apagar o que sentia por ti. Tentei esquecer esse teu sorriso. Tentei negar que o teu olhar me fazia sorrir. Tentei não ouvir os meus pensamentos. Tentei que não me fizesses sentido. Tentei pensar que para ti seria apenas só mais uma. Esforcei-me para te esquecer. Em vão. O teu sorriso continuava lá. Continuava aqui.
Recusei escrever sobre o que realmente me apetecia escrever. Ignorei todos os pequenos sinais. "In vino veritas" e em inglês assustei-me com os meus pensamentos. E, sem o prever, invadiste os meus sonhos e eu deixei de ser senhora dos meus pensamentos.
Como pode ser tão verdade que o maior cego é o que não quer ver? Numa brincadeira em "transe musical", vi uma casa e um intruso que se aproximava de mansinho. Entrou sem ser convidado, gerou confusão. As imagens abandonaram-me no momento em que te visualizei como esse estranho. Quando me perguntaram se fazia ideia porque tinha visto tal cena, uma vez que imaginar uma casa era a representação do meu mundo e o resto só eu podia saber, menti "não faço ideia". Mas fiz. Se fiz. Ateei um fogo que me andava a consumir e eu estava a enlouquecer.
Os olhares, os sorrisos, o "não fujas de mim", o teu cheiro. Eu não quero fugir. Há parte de mim que não te resiste. Não podia mais negar tudo o que me estava a acontecer. E comecei a recriminar-me. Porque eu sempre sei que acabo a sofrer. Porque eu sei que devia ter percebido e devia ter evitado. Devia ter-me impedido de sentir e não impedi. Não o podia prever. (Será que não?) Como poderia eu adivinhar que o que eu supus ser brincadeira, me podia apanhar desprevenida? Não podia, mas devia. Sinto que sim.
Admito-me que és o meu desassossego. Confesso-me. E fui salva de mim pela presença de outros ou aquele beijo na testa teria sido seguramente apenas o primeiro. E como posso não me reconhecer? Oscilo entre a loucura e a insanidade. Porque a razão já me abandonou quando te tentei expulsar dos meus pensamentos e não consegui.
Uma noite repleta de sonhos e devaneios. A resolução pela manhã. Cheguei decidida a parar, a travar-me, dois passos e a decisão desvanece-se. O teu sorriso. E depois poderia ser tão mais fácil. Mas o que tu dizes... O reflexo do que sinto. O espelho do que vivo. E a vontade de estar mais perto sobrepõe-se a tudo e quase que a ouço gritar na minha cabeça para não te deixar fugir. "Se ficarmos quietos, achas que passa?" Oh se pudesse ser assim tão fácil! Sei-o agora. E já só falta amarrar os braços e amordaçar-me para não fazer e dizer mesmo tudo aquilo que me apetece e que travo de cada vez que mesmo sem me tocares te sinto perto, perto ao ponto de sentir o calor do teu corpo. Perto ao ponto de sentir o meu coração bater descompassado. Respiro. Fundo. Porquê atear um fogo senão for para o deixar arder?

segunda-feira, 22 de junho de 2009

I want it all

... and I want it now!

O fim-de-semana reavivou-me a paixão de sempre - Queen. Num bar de música ao vivo descobri os "One Vision" que me fizeram recordar um mundo de emoções. Fantásticos! Perdi-me em recordações, canções e sorrisos. Claro que hoje a playlist sofreu uma drástica alteração. Uma vida inteira pode ser ilustrada ao som de Queen. Pelo menos a minha sei que pode!
Gostos não se justificam! A minha paixão por Queen é assim! Não explico, apenas ouço até à exaustão! E ali teria ficado a noite toda, não fossem os amigos e as solicitações para uns metros mais à frente. Porque a noite é de todos e era da música e dos amigos. Dançar como se os anos não tivessem passado. Podia jurar que não passaram. Reviver e viver! Apreciar o solstício!
Pensei demais também... Mas isso é algo com que mais tarde ou mais cedo vou ter que me debater. Entre o que penso, sinto e sei há distâncias, ses e quandos que vou ter de enfrentar!

I only know what you feel... And you are dancing again!

sexta-feira, 19 de junho de 2009

De mim...

Da paixão - sinto-a entorpecer-me a razão.

Do desassossego - há em mim lugares pacíficos nos quais a tua chegada causa tumulto.

Do calor - apenas digo que traz o teu nome tatuado na pele.

Da solidão - só a mim posso confessar o que sinto.

Do caminho - nunca pareceu tão difícil de seguir.

Da dor - a que sinto em me negar.

Da vontade - despir a pele que trago.

Da loucura - começar de novo.

Da verdade - o que sinto e sei.

De ti - nada digo (és segredo melhor guardado no silêncio do meu coração).

quarta-feira, 17 de junho de 2009

"you can't always get what you want"

... se me perguntares já nem eu sei para onde vou.
Sei que o caminho que não posso percorrer me leva a ti, o caminho em que estou leva-me à loucura... o arrepio que trago na pele com a memória do teu toque é o calor que não me acalma o corpo... a noção de que tudo me puxa para ti e o quanto me contrario para te negar.
Não me peço mais do que aquilo que sou, neste momento não sei para onde vou...

segunda-feira, 15 de junho de 2009

Espectro...


Quero abraçar a cegueira e a ignorância e negar-te até que as minhas forças me abandonem...

sexta-feira, 5 de junho de 2009

Tic tac?

Imagem: Google

Se cada grão pudesse ser menos um pensamento,
menos um desejo,
menos um grau de calor...
Se cada areia pudesse ser menos um dia,
uma hora,
um minuto,
um segundo
em que me perco
a pensar em ti...

quinta-feira, 4 de junho de 2009

Vanity is definitely my favorite sin!

Who are you carrying all those bricks for anyway? God? Is that it? God? Well I tell you...
Let me give you a little inside information about God. God likes to watch. He's a prankster.
Think about it...
He gives men instincts. He gives you this extraordinary gift and then what does He do? I swear for His own amusement, His own private cosmic gag reel, He sets the rules in opposition! It's the goof of all times!
Look but don't touch!
Touch but don´t taste!
Taste, don't swallow!
And while you are jumping from one foot to the next, what is He doing? He is laughing...

quarta-feira, 3 de junho de 2009

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Porque ainda acho que é o meu dia também!

Imagem: BBC.co.uk

Porque hoje é dia 1 e se ainda houvesse Feira Popular eu lá estaria! Já não sou criança, mas isso é o que os outros dizem. Há coisas que ainda não levo a sério e nunca vou levar. Gosto de brincar e de fugir para o mundo de faz de conta sempre que me chateiam (quando há reuniões chatas, também). Adoro gelados! Faço birra quando não tenho o que quero! Sou mimada e gosto de ser! Gosto da criança que fui e, sempre que posso, sou! E se hoje houvesse Feira Popular lá estaria eu no carrossel, nas cadeirinhas que tanto gostava, na montanha russa, no comboio fantasma, na passagem do terror. Comer farturas (que na altura ainda não havia churros)! Impressionada com o poço da morte. Com os amigos nos carrinhos de choque! Ai, que saudades! Que bom que era! Passar ali horas em pura diversão! Quero ir à Feira Popular!
FELIZ DIA DA CRIANÇA!

Insanidade

Sinto-me enlouquecer com este fogo que me consome e não pode arder. Querer e não poder. Não posso pagar o preço do impulso. Perco o juízo e a razão. Perco-me no que sinto. Um desatino. O tal fogo que Camões dizia que arde sem se ver. A dor que me desatina e faz sofrer. É uma ferida que estou a abrir e sinto doer. É o não me saíres do pensamento nem por um segundo. É sentir o teu toque mesmo quanto estás ausente. É sentir a falta do teu olhar, do teu sorriso. É pressentir-te chegar e iluminar o sorriso. E é saber que tudo não passa de um sonho que não podemos viver...

sexta-feira, 29 de maio de 2009

Feels like flying!

Foto: Google
Porque é sexta-feira! Porque parece Verão! Porque perdi a cabeça nas compras! Porque estou apaixonada! Porque posso reinventar-me! Porque é a vida a cada dia que passa! E porque sabe bem sentir borboletas no estômago e sorrir!

terça-feira, 26 de maio de 2009

An Irishman's philosophy

There are two things to worry about:
either you are sick or you are well.
If you are well there's nothing to worry about.
If you are sick there are two things to worry about:
either you will get bet better or you will die.
If you get better there's nothing to worry about.
But if you die, there two things to worry about:
either you will go to heaven or you will go to hell.
If you go to heaven there's nothing to worry about.
But if you go to hell you'll be so busy shaking hands with friends you won't have time to worry.


Não faço ideia quem é o autor.
É algo que li há já muitos anos - acho que a "culpa" foi da Jé - e que de facto cada vez mais me faz sentido. "Why worry?" A vida é simples de viver, não há necessidade em complicar.

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Eu sei que ainda não vi tudo

quando vejo uma excursão de japoneses na estação de metro das Olaias a apreciar a estrutura arquitectónica da mesma.

Nota: Presumo que era o que estavam a fazer, pois a guia ia apontando e eles olhavam do tecto para as paredes e das paredes para o chão.

terça-feira, 19 de maio de 2009

Sabedoria

Hoje o sono deu em atraso. Televisão ligada num programa matinal e uma criança de 4 anos a ser entrevistada.
- Partiste o dente?
- Sim.
- Foi um grande trambolhão, ficaste bem?
- Ainda tenho mais dentes para partir!
A gargalhada da manhã.

Quando caio a preocupação é quase sempre não voltar a cair! Será que não devia ser antes saber o meu limite para o número de quedas?

segunda-feira, 18 de maio de 2009

Me, myself and I



Há sempre aquele dia que é meu. Aquele em que coloco o letreiro "fechado". Aquele em que pego em mim e me levo a passear. Levo-me às compras e me mimo! Compro-me tudo aquilo que me apetece, desde que a carteira o permita. Levo-me a lanchar a uma óptima esplanada frente ao mar na companhia de um gelado de maçã verde e limão. Vou passear comigo à beira mar, sentir a areia e a água gelada! Levo-me a jantar a uma marisqueira que eu adoro e depois vou comigo ao cinema ver aquele filme que eu queria mesmo. É um dia que podia ser outro, mas é um dia que de vez em quando me devo!

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Deixa...

Deixa o amor ser cego. Deixa que ele te impeça de ver as minhas pequenas falhas. Deixa que ele te cegue aos meus defeitos, que não sejam mais do que traços de feitio. Deixa o amor ser surdo às palavras que digo sem sentir e sem sentido. Deixa ser o coração a iluminar a verdade do que sinto por ti.

segunda-feira, 11 de maio de 2009

"E não será o amor, que uns aos outros nos devemos, o mais importante, entre todos os deveres?"


- Queres ir ao teatro?
- Ver?
- É uma peça de Mário Cláudio. Um colega é o encenador e convidou-me para ir ver. É na Junta de Freguesia de São João.
- Está bem, vamos.
E fui, aliás fomos. Espectáculo. Adorei. Noite de Sábado bem aproveitada em óptima companhia.
Acho que gostei tanto porque ri e chorei. Admito que não sabia bem o que esperar, mas fiquei rendida à história e aos desempenhos que encheram o palco.
Obrigada por te teres lembrado de me convidar.

quinta-feira, 7 de maio de 2009

quarta-feira, 29 de abril de 2009

Here I go again...

Mudanças, mudanças!
Parece que não consigo viver sem ser em constante movimento!
Mais uma vez arrumo tudo, pronta a recomeçar/continuar num outro lado. É uma questão de ânimo e teimosia! Não estou preparada para desistir daquilo que quero, portanto se não resulta num lado, há que experimentar em outro.
Foram dias complicados até interiorizar que é uma mudança necessária e será para melhor. Mas há paredes que quase se pegam à pele... Foi um processo difícil de desentranhamento! Agora que a mudança está quase feita, percebo que tinha que acontecer. O futuro só pode ser melhor.

terça-feira, 21 de abril de 2009

Bom português?

Hoje vi na RTP 1 que em bom português é tão correcto escrever "umbigo" como "embigo" pois esta última versão foi legitimada pelo uso.
Portanto, não é preciso aprender Português. Para saber Português, basta assassiná-lo com convicção durante algum tempo, convencer mais uns quantos a fazê-lo e o assunto fica resolvido!

quarta-feira, 15 de abril de 2009

Momento national geographic

As férias foram mini! Mas em bom! O que só comprova o ditado de que quantidade não é qualidade! Frio, muito frio. Descanso. Passeio. Lareira!
Perto de casa encontrei esta teia, uma perfeita construção da natureza. Não é?

terça-feira, 7 de abril de 2009

As amigas...

Ontem achei que o melhor seria tirar umas merecidas férias do mundo! Foi o que fiz.

Comecei o dia no ginásio a descobrir o meu primeiro cabelo branco! AH! Estou efectivamente a envelhecer! Nada posso fazer a não ser aceitar o facto e comprar tinta! Eheh!

Depois de almoço, o reencontro merecido com uma velha amiga! LOL! Velha não, que ainda é ainda ultrapassou os 17! Diz ela! Mas já de há bastante tempo e de muita vida! Eu adoro-te! E foi conversa e cinema e conversa! Já agora recomendo o filme "he´s just not that into you"! E sim, é comédia romântica e até pode ser o típico de gajas, mas e daí?!

Filme e muita conversa, antes e depois que durante é muito mau!

Saímos do cinema, hora do lanche. Telefonema:

- É para jantar?!

- Mais um bocadinho que a conversa ainda não terminou...

- Quando vou ter com os meus amigos é tudo bem? tudo e contigo? tudo. E basicamente é isto! Já lá vão 6 horas!

Pois, é que isto de ser mulher é assunto que nunca mais acaba!

terça-feira, 24 de março de 2009

Life's a bitch then you die!

Seguramente não é um pensamento optimista, mas não é por isso que não pode ser verdade!
Uma pessoa tenta fazer as coisas de forma a não andar por aí a ferir susceptibilidades alheias, chega mesmo ao ponto de pensar "que se lixe, posso colocar-me em segundo plano por uns tempos" e depois do que é que adianta? De nada. Os outros acabam sempre por ser um nadinha ingratos e uma pessoa ficou frustrada por não ter feito o que lhe deu na "bolha".
É complicado quando nada do que se faz parece bater certo. Mais ainda quando o que se andou fazer é supostamente o mais correcto, mas sente-se que está errado... Confuso! Pudera!
O melhor é fazer o que o instinto nos diz, se correr mal, correu. O dia a seguir é sempre um novo dia, uma nova oportunidade de começar de novo!

quinta-feira, 19 de março de 2009

Chegou...

a Primavera.

Não há sol que ilumine a escuridão propositada. Quero ficar em reclusão e impedir o calor de entrar. Preciso daquela clareza que vem do escuro, de dentro, de mim... Quero a clarividência que só se consegue no abismo... Por isso ainda fiquei no Inverno. Ainda fiquei no frio e no escuro da noite. Ainda cai chuva e neve. E a Primavera há-de chegar-me...

terça-feira, 10 de março de 2009

So what?!

Tirei o tempo numa nuvem feita de pensamento e confusão... Consegui a minha nuvem ainda que efémera, ainda que em sonho.
Hoje foi novamente dia de "red nails", numa altura em que consegui trazer a calmaria à minha vida. Mas sei que é aquela calmaria que antecipa a tempestade. E porque tenho tanta certeza? Porque não consigo fugir de mim. Por mais que tente. E tentei! Não consigo ser mais do que aquilo que sou... Não consigo ultrapassar-me e tornar-me melhor. Tentei. Tentei manter dentro de mim tudo aquilo que não quero que mais ninguém veja, tudo aquilo que disse não ser. Mas como encerrar-me entre as minhas paredes se os meus gritos me ensurdecem e precisam de ar? Como evitar tudo aquilo que sinto? Como pude deixar prender sabendo que sou incapaz de viver sem liberdade? Como pude ousar querer ser terra se não passo de ar?

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Só para mim

Imagem: Ilan Koren, Weismann Instutute

Até pode ser uma pequenina... Mas queria uma nuvem só para mim!

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

No comments

Se o chefe troca a mulher pela assistente de 20's.
Se as chefes não dão descanso ao informático, que já só falta trancar-se na sala das máquinas para fugir.
Se o director embasbaca ao ver mini-saia.
Se a directora só contrata meninos.
Porque é que permitem coffee-break e depois dizem que não se pode falar destas coisas?!

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Crazy woman on the run...

Não é bem assim que alguém goste de ser descrito. Mas o facto de não conseguir sequer parar 15 minutos durante o dia deve explicar o epíteto...

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Doidos à solta...

ou crónica de uma comédia anunciada!

Sms: "Logo à noite vamos ver Buraka à Arena de Évora para comemorar o meu aniversário."
A entrada era livre e o tempo até não estava mau. Portanto, embora tenha havido quem até trabalhou ao Sábado, há Amigos que o justificam e por isso toca de 11 pessoas se colocarem a caminho em 3 carros (que o povo é poupado).
"Nada de atrasos!" lembrou um sms já avisado ao costume. E não é que o próprio aniversariante brindou os convidados com uns ligeiros 30 minutos de demora!
Por aquelas estradas fora lá fomos nós. À chegada, meia hora antes do início do concerto, duas filas circundavam por completo o recinto.
- Hum... algo me diz que ficamos à porta!
- Queres apostar?
- Nada, não estão aqui 5000 pessoas!
- Tenho fome, tenho frio e quero fazer xixi!
- Ligamos ao Luís e eles passam no Mac e trazem hamburguers para todos! Não há esquisitices é o que houver! Lá dentro há WC.
Dito e feito. Andámos mais uns metros a caminho da Arena. Está quase e a comida ainda não veio. Do outro lado da rua avistamos os sacos do take-away. "Comida! Comida!" (devorada em 5 minutos pois estávamos à porta).
- Desde a Vasco da Gama que perdemos o teu carro.
- Desde onde? Eu vim pela 25 de Abril!
"Lotação esgotada! Não pode entrar mais ninguém!"
- Como?
- Ele está a brincar!
- É um polícia que está a avisar!
Está bom de ver que a lotação esgotou mesmo connosco a 3 metros da porta...
Ora, bem o melhor era ir beber um copo a qualquer lado!
- Queremos fazer xixi!
Pensámos que se andássemos por ali, algum lugar se ia encontrar. E andámos, andámos, pelas muralhas dentro, que o frio nem estava a gelar os ossos!
Salão de chá quentinho!
Andámos e falámos como há muito não se fazia por estas bandas. Foi mais fácil irmos todos para Évora do que combinar um café por cá.
E não é que feitas as contas valeu a pena!

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Pitch black


Um buraco negro é um lugar no espaço onde a gravidade é tão forte que nem a luz consegue sair. A gravidade é forte por causa da quantidade de matéria que fica num espaço minúsculo. Pode acontecer quando uma estrela está a morrer. Pode acontecer quando um coração está a sofrer. Pode acontecer quando um corpo está a enfraquecer. Pode acontecer quando uma alma está a perder a fé.

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Silêncio em mim

Saio para a rua longe de mim. O Sol mais não faz do que projectar a sombra da sombra que hoje sou. O ruído da vida que não pára hoje ensurdece-me. Tento o refúgio longe da turbulência. Tento cortar o trânsito em mim. Mas o silêncio não vem. Dos gritos ainda ouço o eco. Pergunto-me se terá fim. Saí para a rua longe. O calor que não se faz sentir não está em mim. O correr desta vida nem sequer abranda. Saí para longe de mim. Mas não me fujo. Encontro-me a tentar fugir-me, a fugir do eco dos gritos em mim. Encontro-me mesmo quando tento sair para longe de mim. Cala-se o eco.

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Notas soltas de fim e começo de ano

Finalmente consegui regressar, depois do vírus na minha pessoa e no vírus do pc, cá estou no novo ano.
Parabéns atrasados à prima que fez anos!
Parabéns à prima que está grávida, mas não quer que ninguém saiba!
Parabéns à amiga que finalmente já se diz "resolvida com a vida"!
Parabéns à amiga que recebeu no Natal o "presente" que pediu!
E depois dos parabéns, vou mudar de assunto.
O fim de ano foi em bom, com os amigos! Bom restaurante, boa comida, boa música! Mas o ano de novo não tem nada, apenas o último dígito. Tudo se mantém! O que é bom!
E agora que já escrevi o primeiro post non-sense do ano, tenho que regressar ao trabalho...