terça-feira, 24 de março de 2009

Life's a bitch then you die!

Seguramente não é um pensamento optimista, mas não é por isso que não pode ser verdade!
Uma pessoa tenta fazer as coisas de forma a não andar por aí a ferir susceptibilidades alheias, chega mesmo ao ponto de pensar "que se lixe, posso colocar-me em segundo plano por uns tempos" e depois do que é que adianta? De nada. Os outros acabam sempre por ser um nadinha ingratos e uma pessoa ficou frustrada por não ter feito o que lhe deu na "bolha".
É complicado quando nada do que se faz parece bater certo. Mais ainda quando o que se andou fazer é supostamente o mais correcto, mas sente-se que está errado... Confuso! Pudera!
O melhor é fazer o que o instinto nos diz, se correr mal, correu. O dia a seguir é sempre um novo dia, uma nova oportunidade de começar de novo!

quinta-feira, 19 de março de 2009

Chegou...

a Primavera.

Não há sol que ilumine a escuridão propositada. Quero ficar em reclusão e impedir o calor de entrar. Preciso daquela clareza que vem do escuro, de dentro, de mim... Quero a clarividência que só se consegue no abismo... Por isso ainda fiquei no Inverno. Ainda fiquei no frio e no escuro da noite. Ainda cai chuva e neve. E a Primavera há-de chegar-me...

terça-feira, 10 de março de 2009

So what?!

Tirei o tempo numa nuvem feita de pensamento e confusão... Consegui a minha nuvem ainda que efémera, ainda que em sonho.
Hoje foi novamente dia de "red nails", numa altura em que consegui trazer a calmaria à minha vida. Mas sei que é aquela calmaria que antecipa a tempestade. E porque tenho tanta certeza? Porque não consigo fugir de mim. Por mais que tente. E tentei! Não consigo ser mais do que aquilo que sou... Não consigo ultrapassar-me e tornar-me melhor. Tentei. Tentei manter dentro de mim tudo aquilo que não quero que mais ninguém veja, tudo aquilo que disse não ser. Mas como encerrar-me entre as minhas paredes se os meus gritos me ensurdecem e precisam de ar? Como evitar tudo aquilo que sinto? Como pude deixar prender sabendo que sou incapaz de viver sem liberdade? Como pude ousar querer ser terra se não passo de ar?